Além de precisar dormir, eu também precisava escrever. Frequentemente alguém puxa uma corda que me faz tagarelar pensamentos. Esqueço que estou com frio, com sono, com fome, que amanhã o ônibus vai estar cheio e que eu ainda não recebi a Piauí desse mês. Hoje, pela tarde, recebi um email bonito, de desabafo, contando como essa vida é doida e faz a gente se contradizer a cada dia, como nos contradizemos a cada linha de um artigo. Tenho que dizer que nunca, nunca antes na história dessa descabelada que agora digita balançando a perna, me confundi tanto comigo mesma como nos últimos meses. Que maluquice é viver sem ter direção! Parece que, em um belo momento, eu decidi não julgar mais o que é certo ou errado. Eu simplesmente fui dançando conforme a música. Até agora não caí, e creio que isso seja um bom sinal, mas sabe… me faltam desabafos como o que recebi hoje. Já não tenho vontade de reclamar nem de como escorregadia ficou a calçada depois da chuva de ontem. A vida escorrega tanto quanto a minha mente.