Tanto faz se o seu coração já não bate tão mais forte, pois o meu também desacelera. Tanto faz se agora você não sente mais o mesmo que no começo de toda essa história, pois eu também me confundo algumas vezes. Sabe… tanto faz mesmo! Aposto que quando a minha mão encontra a sua, ela se lembra de todas as outras vezes. Aposto que ela sente falta de ficar no bolso junto a sua em dias frios. Eu sei, que tudo passou, que o tempo demorou, que não durou. Também sei que cada beijo foi corrido, escondido, iludido. Mas hoje você falou que vai melhorar. E como faz para melhorar passado? Como faz para melhorar aquele dia na cervejaria ou no calçadão da praia? Como faz para EU melhorar o dia que mandei você abrir a porta rápido ou quando chamei você de idiota? Como faz pra curar mensagens de “te odeio” e pesar mensagens de “te amo”? Fomos iguais, estamos quites. E agora? Se dou um passo a frente, você dá dois para trás. Se você progride, avança, eu recuo, defendo. Aqueles dois corações que se gostam e desgostam com tanta facilidade. Aqueles dois corações que relembram, relembram… e só disso vivem. Eu ainda vou me sentir bem ao seu lado. Eu ainda quero juntar a minha mão a sua. Como era mesmo aquela frase? “Eu preciso sentir que você ainda sente, eu preciso que o seu coração dê um choque no meu, eu preciso saber que seu peito ainda aperta um pouco quando eu vou embora e se espalha como borboletas nas veias quando eu chego.” (T.Bernardi)