Este texto faz parte da série: “Palavras” 

Gosto de ser assim como sou em dias de sol. Acordar com a Marisa Monte no despertador, encontrar a amiga de bicicleta, sair para ficar no sol ouvindo a banda suave do parque. Em dias assim, tenho uma leve impressão de que tudo não basta de longos e passageiros momentos. Não me importa se ontem o jantar foi caro, a cerveja esquentou, a noite de amor não foi inteira, são apenas momentos. Breves e corridas horas que passam e nos fazem ser um pouquinho mais do que somos.

Durante muito tempo me incomodei com o fato de estar sozinha comigo mesma e fazer da vida blogs e jornais. Durante um bom tempo me preocupei em fazer tudo conforme as regras mandam, o público clama e a ordem natural das coisas se encarrega, mas é preciso descansar-se de si mesmo, tirar férias e aproveitar o que um bom domingo de sol pode dar.

Nossos relógios não param e nossos sorrisos não cessam.

 

Constante é, segundo o clássico dicionário da 2ª série, algo inalterável, imutável… como nosso poder de sermos auto-suficientes em questão de felicidade própria.

 

A foto é da galeria da floor_pies,  vocês ainda vão ver muito ela por aqui…