Fiquei no mínimo 15 min olhando o teclado e imaginando o que escrever. Chutei palavras, nomes, assuntos. Fechei os olhos e apertei uma letra qualquer na esperança de iniciar um texto com ela. Abri. Decepção. A janela verdinha perguntava “O que Você deseja localizar?”. Maldito F3! Malditos atalhos! Eu posso escrever nessa janelinha verde qualquer coisa? Posso? Posso pedir para ela localizar a minha blusa branca aberta nas costas? Meu casaco laranja? Meu futuro marido, pai dos meus filhos? Só para dar uma espiadinha! Nada de mais, juro! Ah, ta bom, vá! Essas coisas é melhor nem ver! Se não a gente nem casa! E além de localizar roupas perdidas, terei que apelar para o F3 localizar possíveis bons partidos. Eu não sei o que eu quero localizar! Eu não sei o que eu quero escrever! O que eu estou sentindo, comendo, tomando, gostando. Eu ando meio protegida contra possíveis choques emocionais. Como se uma coragem dentro de mim evitasse qualquer tipo de abalo. Mentira. Coragem nada! Só ando meio insensível mesmo. Como diz aquela música do Arnaldo: “Já não sinto amor, nem dor. Já não sinto nada. (…)”.