Pearl Jam, Dave Matthews, Björk, Cazuza, Queens of the Stone Age, Secos & Molhados, Incubus e Pantera. Mas eu achei ali, bem no cantinho do carro dele, um CD do Tim Maia quase tímido no meio de tantas guitarras, baterias e performances. O cara rock’n roll que conheci num samba, tinha tudo pra ser só um cara, mas era exatamente por causa do contraste da trilha sonora carioca com aquela jaqueta jeans pesada, que eu resolvi dar uma chance aos meus conceitos. Dali do samba, ele me levou pro rock. Eu gostei, até fingi saber algumas músicas e me rendi à cerveja. No entanto, aquele cabelo bagunçado e a barba mal feita perderam seu brilho com o tempo. Segui minha vida na segunda-feira como faço sempre, e não mais o vi. O samba-rock dos meus sábados tinha perdido metade. Perdeu seu rock. Hoje, dia das guitarras elétricas e dos vocalistas frenéticos, eu achei um Los Hermanos no meio das coisas dele. Senti saudades do meu oposto, senti saudades de procurar algo meu perdido no mundo dele. De noite, preferindo ouvir um Caetano a sair, me flagrei torcendo para as botas militares reencontrarem a minha flor no cabelo.