Foi só um abraço. Com ele, decidimos ser amigos pra sempre. Decidiu-se também que podia rolar um beijo depois do abraço, mas que ia ser só um beijo, nada mais. Com o beijo, a gente decidiu que o “nada mais” merecia algumas exceções. Foi só um abraço, um beijo, uma noite. Com a noite veio o frio e achamos melhor dormir junto pra ninguém ficar gripado de solidão. Mas a solidão a dois tem cheiro de camisinha e àgua gelada na madrugada. Tem gosto de café tomado em pé no balcão da cozinha. Solidão a dois começa com um abraço e termina com o sofá na manhã de domingo, com as roupas jogadas perto da janela pra sair o cheiro de cigarro. Estendeu-se a manhã, porque se deu a permissão de estender o abraço, como se estendeu o beijo e estenderam-se todas as outras exceções.