Eu pensei muitas vezes em morrer de chorar, de tomar remédio, de pular do sétimo andar, morrer de dormir, de comer, morrer de tanto pedir “por favor, me escuta.”, morrer de tanto tomar sorvete de creme, fanta uva ou água do mar. Eu pensei muitas vezes em escrever. Eu pensei muitas vezes em não mandar. Eu pensei em não jogar, não correr, pensei em não cantar, não ouvir. Todas as vezes eu só pensei.

Essa semana eu morri de tanto rir. Comi confete fingindo ser remédio. Fiquei horas olhando a vista do sétimo andar e quis ficar ali em cima para sempre. Dormi um dia inteiro, comi a tarde inteira. Pedi “por favor” e não insisti. Tomei sorvete de creme com calda de morango, de chocolate, de caramelo. Resisti a fanta uva, troquei água salgada por água doce. Eu escrevi, eu mandei. Eu joguei, eu corri, eu cantei e eu ouvi. Eu ME vi. Me vi ser mais feliz, ser mais viva, ser mais eu.

 

 

 

 
obs. Mil perdões se estiver super mal escrito. Esse texto foi de última hora, último minuto e último segundo.