Vê, que coisa é a vida. Horas estamos tristes porque nossos futuros estão nas mãos de ninguém mais, ninguém menos, que nós mesmos. No meu caso, um grande susto e perigo. Outras horas estamos ensurdecedoramente felizes porque tudo leva a crer que o destino está a nosso favor. Sejamos mais céticos, individuais e realistas: estamos satisfeitos até o ponto que queremos estar. Ser feliz ou ser triste é um estado muito além de forças externas, é quase um estado de espírito consideravelmente controlável por nós. Diz, como você quer se sentir hoje?

(conclusão e trecho de uma conversa noturna e quase etílica desse feriado)